Terapia ABA – Agressividade e autismo: O que devo fazer?

Terapia ABA - Agressividade e autismo: O que devo fazer?

Terapia ABA – Agressividade e autismo: O que devo fazer?

Agressividade em crianças do espectro é algo comum. Como eles tem dificuldade em se comunicar, utilizam a agressão como uma forma de linguagem. Normalmente essa forma de comunicação acontece em dois momentos: (1) quando eles querem algo como brinquedos, comidas, afeto, atenção, etc, e (2) quando eles querem fugir de alguma tarefa ou situação. Apesar de essas serem as situações mais comuns, também é possível identificar comportamentos agressivos em outros momentos: algumas crianças expressam sua felicidade através da mordida, por exemplo.

A primeira coisa que deve ser feita para lidar com a agressividade de crianças do espectro é dificultar o sucesso do comportamento agressivo do seu filho/ aluno. Sendo assim, nos primeiros sinais de que você vai receber um tapa ou uma mordida, segure ele ou se afaste. Depois que ele morder/ bater será mais difícil controlar as consequências do comportamento agressivo dele.

Normalmente, o que deve ser feito quando a criança demonstrar os primeiros sinais de agressividade é solicitar comportamentos alternativos de pedido para substituir a tentativa de mordida ou tapa. Por exemplo, quando a criança tentar te morder, e ela for vocal, peça para ela dizer o que ela quer vocalmente (peça para ela repetir palavra por palavra o que você falar). Se ela não for verbal, peça para ela olhar no seu olho, para ela sentar, apontar o que quer. Quando ela tentar morder expressando felicidade, dê dicas físicas de como deveria se comportar, faça a criança bater palmas, por exemplo. É importante que outro comportamento possa ser ensinado.

Quando seu filho/ aluno conseguir bater, morder, arranhar, você deve evitar fazer contato visual com ele. Apesar de crianças do espectro evitarem o contato visual, paradoxalmente nessas horas eles tendem a te olhar. Não ter o seu contato visual seria um primeiro sinal para a criança de que ela não foi bem sucedida. Se a criança quiser um brinquedo não dê. Se ela quiser que você se afaste, continue perto. Depois que o comportamento agressivo for bem sucedido o melhor é garantir que a criança não consiga o que ela quer. No entanto, essa é uma dica geral que pode não ser adequada em alguns casos. Por exemplo, se seu filho/ aluno for adulto e muito agressivo, enquanto ele não conseguir o que quer ele pode quebrar a casa toda. Nesse caso, tente substituir os primeiros sinais de agressividade por pedidos mais adequados já descritos acima. Se você não puder atender o pedido dele, tente propor uma outra coisa que ele goste antes que o comportamento agressivo cresça.

Na prática clínica, já levei mordidas, puxões de cabelo, beliscões na bochecha, tapa na cara, arranhões, cabeçadas, etc. Apesar de tentar ser indiferente aos comportamentos deles, muitas vezes, sentimentos como tristeza e frustração são inevitáveis. Imagino que esse seja também o sentimento dos pais quando isso acontece, e por isso, esse seja um dos comportamentos mais difíceis de serem trabalhados. Mesmo assim, é importante não desanimar e insistir no ensino de comportamentos mais adequados na comunicação dessas crianças.

fonte: http://www.autismoeterapiaaba.com/#!Terapia-ABA-Agressividade-e-autismo-O-que-devo-fazer/cmbz/F20CA28B-FB0A-429A-8DE8-7BDB9B142D01